quinta-feira, 19 de maio de 2011

Professora do RN critica educação no estado e vira “heroína” nas redes sociais

Um vídeo que mostra a professora Amanda Gurgel criticando a situação da educação no Rio Grande do Norte durante uma audiência pública na Câmara dos Deputados de seu estado fez com que a professora ganhasse admiradores por todo o país.

O vídeo que mostra a fala de Amanda teve 180 mil visualizações no YouTube desde o dia 14, quando foi postado, e seu nome ficou entre os “trending topics” do Twitter - a lista dos temas mais comentados da rede social - entre quarta e quinta-feira.

Amanda mostrou seu contracheque de R$ 930 aos deputados e enumerou algumas das dificuldades encontradas pelos professores no estado, além dos baixos salários: transporte precário, salas de aula superlotadas e até a proibição aos professores de comerem a merenda oferecida aos alunos.

A professora também criticou a secretária de Educação do RN, Betânia Ramalho. “A secretária disse que não podemos ser imediatistas, que precisamos pensar a longo prazo. Mas a minha necessidade de alimentação é imediata”, disse. “Pedimos respeito, pedimos que a senhora não vá à mídia pedindo flexibilidade, como se fôssemos responsáveis pelo caos”, afirmou, referindo-se à greve da categoria.

Com uma fala segura e firme, Amanda disse que não sentia vergonha de mostrar seu contracheque ao público presente na audiência. “Quem deveria estar constrangido são vocês”, disse, dirigindo-se aos deputados e à secretária Betânia.

Veja o depoimento da professora Amanda Gurgel:

Sugestão de Atividade MATEMÁTICA: Croqui e localização de pessoa ou objeto.

Sugestão de Atividade MATEMÁTICA
M 18 e 19 para 2º ano, M 21 e 22 para 3º ano, M 17, 18 e 23 para 4º ano e M 17, 31 para 5º ano.



Fonte: Dante, Luiz Roberto. Formulação e resolução de problemas de matemática: Teoria e Prática. São Paulo: Ática, 2010.

DIGITAÇÃO DAS QUESTÕES PROVA DA CIDADE 1ª EDIÇÃO 2011


Trabalho concluído com êxito!
Nossa equipe de digitadores é maravilhosa!
Um beijo especial aos professores envolvidos.

Equipe Betinho

segunda-feira, 16 de maio de 2011

A EMEF Betinho diz BASTA ao RACISMO

Alunos do 2º ano B, Professora Letícia, desenvolveram atividades ao longo da semana do dia 13 de maio e a culminância desse trabalho foi um cartaz coletivo que segue.



Parabéns crianças! Parabéns Professora Letícia! São ações como essas que farão com que a nossa sociedade seja menos preconceituosa, mais tolerante e que aprenda a conviver bem com todas as diferenças, que fazem do nosso mundo um lugar muito bonito.

Jovens negros morrem mais por violência do que jovens brancos

Jovens negros morrem mais por violência do que brancos, diz Ipea

Há mais mulheres negras morando sozinhas com filhos do que brancas.
Levantamento utilizou dados do IBGE e do Ministério da Saúde.


O levantamento "Dinâmica Demográfica da População Negra Brasileira", divulgado nesta quinta-feira (12) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), aponta que a população que se autodenomina negra é majoritária no Brasil, mas que também é mais jovem, tem mais filhos e está mais exposta à mortalidade por violência do que a população branca. A pesquisa utilizou dados de diversos levantamentos anteriores, como o Censo 2010 do IBGE, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2009 do IBGE e o Sistema de Informação sobre a Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde de 2001 e 2007.
Segundo o Ipea, dentre os fatores que fizeram a população negra chegar a 97 milhões de negros, conforme o Censo 2010 do IBGE, em relação a 91 milhões de brancos, estão a maior fecundidade entre os negros e o maior envelhecimento dentre os brancos, provocando o aumento das mortes dentre os brancos idosos. A proporção de negros com 60 anos ou mais no total da sua população é de 9,7%, enquanto que a de brancos chega a 13,1%.

A pesquisa apontou que o percentual de negros mortos, com idades entre 15 e 29 anos, é maior do que o de brancos. A faixa etária representa quase 10% dentre as mortes anuais de homens negros, enquanto que esse número não chega a 4% para os brancos. Os pesquisadores do Ipea entenderam que os jovens negros morrem mais por estarem mais expostos à violência. Isso porque “causas externas”, como assassinatos e acidentes, é o segundo motivo que mais mata pessoas do sexo masculino entre os negros, conforme dados do SIM de 2007.
Nas duas raças, a principal causa de óbitos são as doenças do aparelho circulatório – cerca de 28,5% dentre as mortes do sexo masculino na população branca e 25%, na negra. As causas externas - assassinatos e acidentes - estão em segundo lugar entre o que mais mata homens negros, representando 24,3% do total dos óbitos. Entre os homens brancos, representa 14,1% das mortes e vem em terceiro lugar. Entre os homens brancos, colocam-se em segundo lugar as mortes causadas por neoplasias (17,3%), que são a terceira causa de óbito entre a população negra.

Quando o Ipea analisou separadamente as causas externas que provocam as mortes da população, percebeu que os homicídios correspondem a aproximadamente 50% dos óbitos entre os homens na população negra, tanto nos levantamentos do Ministério da Saúde de 2001 quanto de 2007. Entre a população branca, apesar de a violência ser a principal causa das mortes de homens em 2001 (35,3%), o número caiu em 2007 para cerca de 30%, sendo superado pelos acidentes de trânsito (cerca de 35%).

Estrutura familiar
O Ipea apontou que, conforme dados do PNAD de 2009, 63,8% das famílias, independentemente da raça, são formadas por casais com filhos. Dentre as famílias formadas por pessoas brancas, 12,5% são de casais sem filhos e 4,6%, de mulheres sozinhas. Avaliando-se as famílias negras, os índices ficam em 9,5% e 3,7%, respectivamente.
E há mais mulheres sozinhas morando com os filhos dentre os negros: elas representam 17,7% do total da estrutura familiar de sua raça no país. Dentre as famílias brancas, elas são 14,3%.
A análise percebeu aumento da contribuição das mulheres nas rendas das famílias, o que ocorreu nos dois grupos populacionais, conforme comparação entre os dados do PNAD de 1999 e 2009. Entre as brancas, essa participação passou de 32,3% para 36,1% e entre as negras, o aumento foi de 24,3% para 28,5%.

Também aumentou a proporção de mulheres negras ocupadas que se dedicavam aos afazeres domésticos em 2009 – elas representavam 91% do total. Um número semelhante de mulheres brancas que trabalham cuidam do lar: são 88,1%. Dentre os homens, a situação se inverte. São os brancos que ajudam mais no trabalho de casa (50,6%), contra 48,5% dos maridos negros.

Envelhecimento
Conforme o Ipea, a população de negros com 60 anos ou mais no total da população representa 9,7% dentre os negros e 13,1% entre os brancos. Na população idosa negra, a cada 100 mulheres, já 88 homens. Já entre os brancos, a relação apontada foi de 75 homens para cada 100 mulheres.

Apesar de não estar envelhecendo tão rapidamente quanto os brancos, os negros conseguiram aumentar sua participação no recebimento monetário de seguridade social. Em 2009, pelo menos 77,3% da população negra tinha direito a benefício – dentre os brancos, a abrangência é de 78,3%, chegando a um total de 16,6 milhões de idosos.

Fonte:
http://g1.globo.com/brasil/noticia/2011/05/jovens-negros-morrem-mais-por-violencia-do-que-brancos-diz-ipea.html Consultado em: 16 de maio de 2011, as 8h10.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Discriminação Étnica - Vídeo Turma da Mônica.


Segue sugestão de vídeo para trabalharmos nessa semana do dia nacional na luta contra o racismo: 13 de maio.

Os alunos dos 3º e 4º anos já assistiram! Esperamos o retorno do trabalho que será desenvolvido com os meninos e meninas nas salas de aula.

A história está dividida em 3 partes.





Bom trabalho.
Equipe Betinho

NÃO PERTURBE! Estamos na HORA da LEITURA.

Gente boa da nossa escola!

Criamos um código nosso para que não haja interrupções externas na hora da leitura compartilhada feita pelo professor ou aluno.

Quando o gatinho estiver pendurado do lado de fora da porta todos sabemos que não se pode bater na porta, para não atrapalhar este momento tão especial do nosso dia.



ATENÇÃO! Não se esqueça de retirar o gatinho da porta ao término da leitura, ou então não poderemos nos comunicar em necessidades emergenciais!


Equipe Betinho


terça-feira, 10 de maio de 2011

13 de maio - Dia Nacional de Luta Contra o Racismo.

13 de maio

Dia Nacional de Luta Contra o Racismo.

Mônica da Silva*
Há exatamente 120 anos a Princesa Isabel declarou extinta a escravidão. Mas a pergunta que não quer calar é: Isto de fato ocorreu?

Penso que não. Pois, o Estado brasileiro nasceu sob o amparo do escravismo e não há riqueza nem bens acumulados neste país que não tenham, direta ou indiretamente, se beneficiado do trabalho e do sangue dos africanos escravizados e seus descendentes.
A grande contradição, contudo, é que a parcela de nossa população que mais trabalhou para engrandecer este país seja exatamente a parcela sob a qual recaem as piores mazelas de nossa sociedade.
O Movimento Negro vem denunciando as mais variadas práticas discriminatórias que violam os direitos elementares de cidadania desta metade da população brasileira: negros e negras.
A sociedade brasileira empurra este segmento da população para as piores condições de educação, de trabalho, de saúde, privação da terra, acesso à cultura, ao lazer, entre outras.
São muitos os estudos publicados sobre as condições da população negra no mercado de trabalho, realçando os lugares subalternos reservados aos negros e negras. Do mesmo modo, são vários os estudos que desmentem a tese de que o preconceito de classe é mais forte que o preconceito racial.
No texto “A mobilidade Social dos Negros Brasileiros”, o autor, Rafael Guerreiro Osório, afirma que estudos mais recentes comprovam que, ainda que se compararem brancos e negros de mesmo nível socioeconômico, persistem desigualdades entre eles inatribuivéis a outras fontes que não o racismo.
A ideologia racista leva à reprodução, na sucessão das gerações e ao longo do ciclo da vida individual, do confinamento dos negros aos escalões inferiores da estrutura social, por intermédio da discriminação de ordens distintas, explícitas, veladas ou institucionais.
Para exemplificar o quadro atual de mobilidade social revelado pelos estudos relatados, peguemos duas famílias, uma branca e uma negra, com exatamente a mesma condição social. Se ambas vêm de uma condição social inferior, o filho da família negra terá mais dificuldades de ascensão na estrutura social. Se estas famílias, por sua vez, pertencerem a um grupo social superior, é certo que o filho da família negra terá maior risco de descender na hierarquia social. Tal situação ocorrerá mesmo se esses dois filhos hipotéticos atingirem o mesmo nível educacional.
Refletir sobre os aspectos raciais da sociedade brasileira é uma tarefa permanente. Daí, a importância do 13 de maio como o Dia Nacional de Luta contra o Racismo. O Movimento Negro cresceu, alcançou conquistas e consolidou mudanças em nossa cultura de luta. A reivindicação do dia 13 de Maio como Dia Nacional de Luta contra o Racismo é uma dessas vitórias. Hoje, a idéia da consagração da Princesa Isabel como "libertadora" dos escravos soa como "piada de mau gosto".
Neste ano de 2008, o simbolismo é ainda maior. Serão completados 120 anos desde a oficialização do fim da escravidão. Entretanto, negros e negras permanecem alijados de direitos sociais, vitimadas pelo preconceito e pelo racismo.
Apesar de todas essas mazelas, permanecemos de pé, permanecemos em estado de ação, sonhador e com sede de protagonismo. Neste aniversário da "NÃO- LIBERDADE", nosso grito vai soar e de punhos cerrados seguiremos em luta.

Mônica da Silva é Presidente do Instituto do Negro (Zimbauê), uma das ONGs integrantes do Galpão Cultural.

Fonte: http://algomaisculturalassis.blogspot.com/2008/05/dia-nacional-de-luta-contra-o-racismo.html 
Consultado em: 10 de maio de 2011 as 22h45.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Ano Internacional das Florestas

2011 é o Ano Internacional das Florestas

As florestas cobrem 31% de toda a área terrestre do planeta e têm responsabilidade direta na garantia da sobrevivência de 1,6 bilhões de pessoas e de 80% da biodiversidade terrestre. Pela importância que têm para o planeta, elas merecem ser mais preservadas e valorizadas e, por isso, a ONU declarou que 2011 será o Ano Internacional das Florestas

Saiba mais em: http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/ambiente/2011-ano-internacional-florestas-preservacao-manejo-sustentavel-612833.shtml

Hoje é o dia nacional da Matemática

06 de maio - Dia Nacional da Matemática

No dia 06 de maio de 1895 nasceu Júlio César de Melo e Souza, mais conhecido como Malba Tahan. Escritor e professor de Matemática, ele é autor de inúmeras obras literárias, dentre elas O Homem que Calculava, que relata as enigmáticas histórias de um calculista repleto de estratégias matemáticas na resolução de problemas cotidianos.
Em referência a Júlio Cesar de Melo e Souza, o Dia Nacional da Matemática é comemorado em 6 de maio, de acordo com uma lei aprovada pelo Congresso Nacional no ano de 2004, no intuito de divulgar a ciência como uma importante ferramenta de trabalho humano.
Nesse dia, os matemáticos ligados à área da educação devem promover dinâmicas, com o objetivo de divulgação da data comemorativa, bem como demonstrar que a Matemática é definitivamente importante na evolução da sociedade, visto que seu próprio crescimento ocorreu de acordo com o processo de modernização regido pelas ações humanas ao longo do tempo.
Esse trabalho de divulgação também tem o propósito de mostrar às pessoas que a Matemática não é tão complicada como muitos pensam. Suas aplicações facilitam o entendimento em processos de contagem relacionados a cálculos diários e cotidianos. As instituições escolares possuem papel decisivo nessa divulgação, que pode ocorrer através de palestras, oficinas, feiras, mostras de trabalhos confeccionados pelos alunos, abordando as inúmeras utilizações da Matemática.
Por Marcos Noé
Graduado em Matemática
Equipe Brasil Escola

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Superando as dificuldades nas Expectativas de Matemática



Fonte: Stienecker, David L. Adição:  problemas, jogos & enigmas. Ed: Moderna, 1998. São Paulo.

Superando as dificuldades nas Expectativas de Matemática 1º ano

M 21 - Identificar semelhanças e diferenças entre as formas dos objetos em seu cotidiano.

Superando as dificuldades nas Expectativas de Matemática 1º ano


M 19 - Fazer a leitura de croquis simples que indiquem a posição de um objeto ou pessoa.





Expectativas de Matemática - JEIF de 19 de abril

Hoje durante nosso horário de JEIF levantamos encaminhamentos possíveis para reversão do número de alunos que alcançaram as expectativas em Matemática. São elas:


Leitura de mapas e o desenvolvimento de conceitos geográficos.

Dados da Aula

O que o aluno poderá aprender com esta aula
  •         Interpretar informações e levantar hipóteses utilizando o mapa de sala e da escola como fonte de referência de leitura.
  •         Utilizar a linguagem oral com eficácia, sabendo adequá-la a intenções e situações comunicativas que requeiram conversar em grupo, expressar sentimentos e opiniões, defender pontos de vista, relatar acontecimentos, expor sobre temas estudados;
  •        Ampliar a percepção de conceitos geográficos como lugar e espaço.  
Duração das atividades
Seis aulas de aproximadamente 40 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Indicada para as crianças que compreendem as diferenças entre a escrita alfabética e outras formas gráficas, conhecem as letras do alfabeto e o modo de grafá-las. Não é preciso que os alunos dominem o sistema alfabético para a realização da atividade.
Estratégias e recursos da aula
Os Parâmetros Curriculares Nacionais História/Geografia 1ª  a 4ª serie apresentam a categoria geográfica lugar como referência pessoal e sistema de valores que direcionam diferentes formas de perceber conhecer e interagir com o espaço geográfico.  Nesta aula é proposta uma prática interdisciplinar associando um trabalho com crianças em processo de alfabetização e o conceito geográfico de lugar associado a práticas de letramento.   
ATIVIDADE 1
Para auxiliar quanto à percepção de lugar, sugiro que seja construído por você um mapa de sala. Utilize letra caixa alta para escrever o nome das crianças e se possível faça-o de maneira que possa ser alterado o nome das crianças nas posições das carteiras da sala. Além de auxiliar na organização da sala é um importante recurso para as crianças conhecerem os nomes dos colegas.
  •       Leia para as crianças o mapa de sala da turma.
  •       Peça que observem se todas as crianças estão nos lugares corretos e ajude-os a se localizar de acordo com o mapa, apontando referências ( colegas ao lado, posição da porta e lousa/quadro no mapa de sala etc).
  •       Caso ainda não estejam familiarizados com os conceitos de direita e esquerda, explique-os a eles, utilizando o próprio corpo das crianças como referência
  •       Converse ainda sobre a organização das carteiras em filas para que seja mais uma referência de espaço e lugar para as crianças.
  •       Reproduza o mapa de sala para cada criança para que respondam a atividade abaixo.  
ATIVIDADE DE PORTUGUÊS RESPONDA AS PERGUNTAS ABAIXO:   
A)    QUAL O NOME DO COLEGA SENTADO A SUA FRENTE?______________________
B)    QUAL O NOME DO COLEGA SENTADO ATRÁS DE VOCÊ? _____________________
C)    QUAL O NOME DO COLEGA SENTADO A SUA DIREITA? ______________________
D)    QUAL O NOME DO COLEGA SENTADO A SUA ESQUERDA? ___________________
E)    QUANTOS COLEGAS ESTÃO SENTADOS NA MESMA FILA QUE VOCÊ?_________
F)     QUANTOS COLEGAS ESTÃO SENTADOS NA MESMA FILA QUE VOCÊ À SUA FRENTE? __________
G)    COM LÁPIS DE COR VERDE, FAÇA UMA LINHA DO SEU LUGAR NA SALA DE AULA ATÉ A PORTA.
H)    COM LÁPIS DE COR VERMELHO, FAÇA UMA LINHA DO SEU LUGAR NA SALA DE AULA ATÉ SEU MELHOR AMIGO DA SALA.
I)        COM LÁPIS DE COR AZUL, FAÇA UMA LINHA DO SEU LUGAR NA SALA DE AULA ATÉ O QUADRO/LOUSA.
  •       Corrija oralmente a atividade de algumas crianças e peça que os colegas observem a referência do outro de lugar.
  •       Explique que a atividade de cada um será respondida de um jeito diferente, pois o lugar de cada um é único na sala de aula.
  •       Incentive-os a oralmente argumentar e observar esta colocação, utilizando o mapa de sala como exemplo.

Fonte da imagem: http://ensa.org.br/blog/?m=201003&paged=2   



ATIVIDADE 2
  •       Leia para as crianças o texto abaixo, sugiro que seja feito no pátio da escola.   
Ponto de vista
Sônia Salerno Forjaz   
(...)
À direita vejo um bosque,
À esquerda uma lagoa,
Logo acima o céu,
Sob os pés a terra boa!
(...) Mas se viro de repente,
Tudo muda desde o início!
O que estava à minha esquerda
À direita está agora.
Tudo ficou diferente,
Tudo girou sem demora!   
Ponto de vista, Moderna 1992.
  •       Oralmente, peça para que comentem o texto.
  •       Junto com toda a turma, observem o que está à direita das crianças, depois à esquerda, diga para todos girarem assim como no poema e ver o que mudou de posição (direita e esquerda).
  •       Deixe que as crianças girem livremente e faça observações.
  •       Entregue uma folha de papel às crianças previamente escrito frente, atrás, direita e esquerda em cada canto da folha. Peça que girem por alguns segundos e depois se sentem. Cada criança deverá desenhar o que vê a frente, direita e esquerda e atrás.
  •       De volta à sala de aula retome o poema “Ponto de vista”, utilize alguns desenhos como exemplo para ajudar na interpretação do poema.
  •       Reproduza em tamanho grande o poema e faça um painel com os desenhos para ser fixado na escola ou sala de aula.       
ATIVIDADE 3
  • As crianças deverão construir um mapa da escola. Mostre-as o mapa abaixo como exemplo (caso a escola seja muito grande, divida a turma em grupos).  
  •  Faça primeiro um passeio com a turma por toda a escola. Utilize um ponto de referência como sendo a frente da escola ( por exemplo o portão de entrada). Todo o registro deverá ser feito a partir deste ponto de referência.  Todas as salas e espaços precisam estar registrados no mapa, auxilie as crianças a escrever os nomes dos espaços caso ainda não consigam sozinhas ( banheiro, cozinha, cantina, biblioteca, sala de aula, pátio, laboratório etc. )
  •  Voltem à sala de aula e organizem o mapa ( se feito por mais de um grupo) depois volte a escola com toda a turma para conferir se o mapa está correto.  Leia e aponte o nome de cada espaço da escola, retomando as referências de lugar.
  •  Amplie o mapa em cartolina e fixe-o na sala de aula entregue também uma cópia em tamanho A4 para cada criança realizar a atividade abaixo.   
ATIVIDADE DE PORTUGUÊS  
 RESPONDA AS PERGUNTAS ABAIXO:   
A)    QUANTAS SALAS DE AULA EXISTEM NA ESCOLA?______________________
B)    QUANTAS SALAS DE AULA ESTÃO NO MESMO CORREDOR DA NOSSA SALA? _____________________
C)    COM LÁPIS DE COR VERDE, FAÇA UMA LINHA DA SALA DE AULA ATÉ A BIBLIOTECA.
D)    COM LÁPIS DE COR VERMELHO, FAÇA UMA LINHA DA SALA DE AULA ATÉ A CANTINA/REFEITÓRIO.
E)    COM LÁPIS DE COR AZUL, FAÇA UMA LINHA DA SALA DE AULA ATÉ O PORTÃO DE ENTRADA DA ESCOLA.
F)     ESCREVA O NOME DO LUGAR DA ESCOLA QUE VOCÊ MAIS GOSTA. _________________________
G)    OBSERVE OS NOMES DOS ESPAÇOS DA ESCOLA. COMPLETE AS PALAVRAS OBSERVANDO O MAPA DA ESCOLA.
BANHEI_____ SALA DE AU______ _____TIO
CAN____NA LABO_____TÓRIO ES____LA
POR______ ___RREDOR BIBLIO_____CA
  • Corrija oralmente a atividade e peça que observem que agora a referência do lugar é a mesma para toda a turma. Diferente da atividade do mapa de sala em que cada criança tinha seu ponto de vista.
  • Incentive-os a oralmente argumentar e observar esta colocação utilizando o mapa de da escola.
Recursos Complementares
Para formação do professor:
SCHÄFFER, Neiva. Ler a paisagem, o mapa, o livro... Escrever nas linguagens da Geografia. In: et. AL. Ler e escrever. Compromisso de todas as áreas. Porto Alegre. Ed. da UFRGS, 1998.
Site para as crianças: 
http://www.cienciahoje.uol.com.br/ 
Avaliação
Durante a realização das atividades observe se a criança:
  •      Consegue com autonomia ler e interpretar o mapa de sala  e da escola.   
  •      Expõe oralmente suas idéias de acordo com o tema proposto.
  •     Compreendeu o conceito de lugar e consegue através de escrita ou desenho representar o espaço a sua volta.  
FONTE: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=28758

Superando dificuldades na Expectativa de Matemática M10 - 3º ano


M10 - 3º ano. Analizar e validar (ou não) resultados obtidos por estratégias pessoais de cálculo de adição, utilizando a calculadora.

Proposta de atividade:

Fonte: Stienecker, David L. Adição:  problemas, jogos & enigmas. Ed: Moderna, 1998. São Paulo.